em viagem
em viagem

Passo a passo: como planejar uma viagem do zero?

Sabemos muito bem que um dos maiores desafios de qualquer turista é como planejar uma viagem. Parece que sempre tem algo sendo esquecido, que você nunca vai se aprontar totalmente, e é nesse momento que bate aquela ansiedade. Mas calma, é exatamente por isso que estamos aqui!

O segredo está na organização. Se você souber bem qual o passo a passo e não restar nenhuma dúvida do que fazer, então as coisas ficam fáceis. Pensando nisso, separamos as 10 etapas fundamentais que qualquer viajante precisa considerar antes de embarcar. Vamos lá?


Imagem de um mapa com alguns itens típicos de viagem em cima dele: um bloco de notas, um lápis, uma câmera fotográfica, uma bolsa e livros sobre a natureza.
Se você se organizar bem, vai poder aproveitar tudo o que a viagem pode oferecer pra você!

1. Defina o tempo disponível para a viagem

O primeiro passo é um dos mais importantes, mas ironicamente é um dos que geralmente são deixados de lado. O único jeito de definir todo o resto do planejamento, da maneira certa, é saber exatamente quanto tempo disponível você tem para viajar!

Por exemplo, se você tirar 30 dias de férias, como pretende organizar esse tempo? Vai ser o mês inteiro viajando, ou só um período pequeno? É claro que você precisa escolher isso principalmente com base nas suas vontades, não é todo mundo que gosta de ficar tanto tempo fora.

Mas existem algumas variáveis a serem consideradas, detalhes que tornam esse tempo disponível não necessariamente o mesmo tempo que você vai ter de viagem. O quão demorado vai ser pra chegar no destino? Em uma viagem de avião do Brasil para a França, geralmente o voo costuma levar cerca de 12 horas.

É por isso que você deve considerar essa etapa primeiro, pois todos os seus planos podem mudar de acordo com o tempo livre. Talvez não valha tanto a pena assim visitar um destino que leve um dia inteiro (ou mais) pra chegar até ele se você tem apenas 5 dias de férias, não acha?

Também devemos considerar o período que você vai precisar pra se acomodar no hotel e descansar do voo. Há ainda o tempo necessário pra desfazer as malas e se organizar, o que pode ser algo bem demorado.

Em resumo, nem todo o tempo gasto vai ser aproveitando o passeio. É sempre bom deixar uma margem de pelo menos 1 dia extra, além do que for definido no seu roteiro, tanto antes de embarcar quanto após retornar para casa. Assim, você evita possíveis imprevistos e tem uma maior tranquilidade pra aproveitar a viagem.


Foto das areias dos Lençóis Maranhenses, um dos paraísos brasileiros localizados no Maranhão.
Os Lençóis Maranhenses, um dos paraísos brasileiros, são um dos destinos nacionais mais belos para incluir no roteiro!

Outra coisa muito importante é em relação à temporada, que não só pode alterar os gastos como também as atrações do seu destino. Isso pode fazer você querer estender ou encurtar a viagem.

Considere em qual época do ano você pretende embarcar, pois talvez algumas atrações percam um pouco a graça de acordo com as datas. Não tem tanto sentido assim querer aproveitar a neve dos Estados Unidos durante o verão, certo?

Algumas regiões também podem ser mais atrativas em algumas épocas por causa de festividades ou eventos específicos. O Rio de Janeiro é sempre um dos principais destinos nacionais, mas durante o carnaval as visitas ao estado aumentam consideravelmente.

Cada país e cultura tem suas melhores épocas para se visitar, tanto por causa das atrações quanto do clima. Os valores também podem mudar bastante em épocas de alta temporada, então considere isso antes de escolher o seu destino.

O orçamento também é um dos maiores influenciadores: será que você tem verba o suficiente pra cobrir toda a viagem pelo período planejado? Talvez o melhor seja escolher um destino mais barato ou esperar mais um pouco antes de viajar. Esse é um assunto essencial e deve ser definido o quanto antes, por isso, é essa a próxima etapa do planejamento!


Foto da Torre Eiffel, na França.
A Torre Eiffel, na França, é um dos destinos mais famosos de todo o mundo e um dos favoritos dos brasileiros.

2. Defina o seu orçamento

Sabe todos aqueles momentos economizando pra ter a viagem perfeita? Pode ter certeza que eles valeram a pena e agora é o momento de aproveitar todo esse esforço! Defina quais serão os limites dos seus gastos, mas por enquanto sem se preocupar muito com os detalhes.

Nunca é fácil saber exatamente quais serão as nossas despesas, mas pelo menos colocar os gastos mais importantes no papel já ajuda muito.

É claro que antes você precisa definir o quanto vai poder gastar, de acordo com o seu orçamento total, de modo a não prejudicar o seu dia a dia após retornar da viagem.

Mantenha a cabeça aberta para retornar à essa etapa depois de montar o seu roteiro. Mas, se bater a ansiedade, você já pode tentar listar as despesas mais importantes, que geralmente costumam ser:

  • Passagens aéreas;
  • Hospedagem;
  • Transporte;
  • Alimentação;
  • Atrações que você escolher visitar;
  • Seguro viagem

As passagens de avião costumam ser um dos itens mais caros de qualquer viagem, então se prepare pra ter os maiores gastos com elas. Depois, praticamente todas as outras despesas pode se adequar de acordo com o orçamento restante.

De qualquer maneira, tenha em mente que o mais importante dessa parte do planejamento é definir o limite dos seus gastos, não se preocupar com despesas isoladas.


Foto da mão de uma pessoa segurando um celular com a calculadora aberta em cima de alguns documentos.
Não é fácil economizar para viajar, mas ter a viagem dos sonhos não tem preço!

3. Pesquise bastante, pense no tipo de viagem e defina o destino

Talvez você já tenha tudo organizado na sua cabeça, principalmente após definir o orçamento, mas a realidade pode ser um pouco diferente. Agora que você já pensou melhor nos aspectos mais técnicos do planejamento, chegou a hora de pesquisar muito bem antes de ir para os próximos passos.

Por exemplo, talvez aquele destino tão sonhado não seja exatamente o que você estava esperando, pelo menos não pra agora. Querendo ou não, o orçamento também vai influenciar muito na escolha do seu destino — e em todo o resto —, então é bom manter os pés no chão e entender que talvez algumas mudanças sejam necessárias.

Será que é melhor mudar o destino? Ou talvez esperar mais um pouco e juntar dinheiro para as próximas férias? Depende muito das suas próprias necessidades. Então, separe um tempo pra pesquisar bastante! Até as dicas daquele amigo que está sempre viajando podem ser valiosas.

Não deixe de ler os artigos dos seus sites de turismo favoritos, assistir vídeos, ouvir podcasts, e é claro, conferir o nosso blog! Aqui na Real você tem dicas de viagem todas as semanas, com os melhores destinos e atrações pra você. O nosso Instagram também é repleto de dicas rápidas e promoções pra te ajudar a ter a melhor viagem possível, é só nos acompanhar!

Considere essa etapa como uma pesquisa inicial, então não precisa esquentar a cabeça com várias anotações ou detalhes fora de hora. O importante aqui é alinhar as suas expectativas e entender melhor todas as possibilidades antes de realmente definir o seu destino.

Então se divirta pesquisando sobre todos os lugares que você tem interesse.Aproveite pra conhecer cada pedaço da cultura local e as melhores atrações, mas sem muita pressão.


Foto do Parque Estadual do Jalapão, em Tocantins.
A fama do Jalapão, em Tocantins, tem aumentado nos últimos tempos, e não é de se espantar. As suas belezas naturais são de tirar o fôlego!

Depois disso, é importante se perguntar: qual é o tipo de viagem que você pretende ter?

É claro que é essencial conhecer tudo sobre o seu destino, mas como que você espera aproveitar ele? Será que o melhor é se hospedar em uma pousada chique à beira-mar e visitar museus e restaurantes caros, ou talvez fazer um mochilão pela Europa e dormir em um hostel?

Não é uma escolha fácil, e claramente é algo influenciado tanto pelo tempo da viagem quanto pelo seu orçamento. Mesmo assim, ainda é importante usar a criatividade e se planejar de acordo com as suas vontades!

Uma dica importante: não se esqueça que, nas próximas etapas, a pesquisa nunca acaba. Várias coisas podem mudar de acordo com novas descobertas, ou até mesmo promoções que possam surgir eventualmente.

Não é difícil encontrarmos alguém que mudou todo o seu planejamento porque encontrou um destino muito mais barato, então se atente a qualquer detalhe novo que apareça.

Agora que você já sabe exatamente o quanto pode gastar e já pesquisou mais a fundo os destinos que tem interesse, pode escolher melhor um (ou mais) deles! Mas, resumindo, antes de realmente definir o seu destino, considere:

  • O tempo disponível para a viagem;
  • O seu orçamento total;
  • A temporada em que você vai embarcar;
  • As expectativas que você tem na viagem.

Lembre-se que a viagem ideal vai muito além da escolha do destino. Você pode tirar as férias dos sonhos até mesmo se precisar mudar o país escolhido, o que realmente importa é se organizar muito bem e se adequar à sua realidade.


Foto das águas da Ilha de Phuket, na Tailândia, mostrando as rochas e alguns barcos entre elas.
Se você tem interesse em conhecer o continente asiático, a Ilha de Phuket, na Tailândia, oferece uma das paisagens naturais mais belas de todo o país!

4. Separe a documentação necessária

Agora que você já sabe exatamente qual o seu destino, fica fácil de descobrir quais são os documentos necessários. Geralmente, precisamos de RG, CPF e CNH, caso você pretenda dirigir, mas isso nas viagens nacionais.

Se for viajar para fora do país, além desses documentos já citados, você também vai precisar de um passaporte e o visto de viagem — pelo menos em alguns locais.

É verdade que existempaíses que não exigem vistos brasileiros, mas em contrapartida podem pedir outros documentos similares. Para entrar no México, é necessário solicitar a Autorização Eletrônica, que é quase como uma espécie de visto digital, por exemplo.

Também é bom se preocupar em separar a passagem de volta, seja para casa ou para outro destino, assim você comprova que só pretende ficar no país para turismo. Comprovantes de hospedagem e de meios financeiros para se sustentar durante a viagem costumam ser igualmente importantes.

Outras regiões podem ter exigências bem mais específicas. Os países que pertencem ao Espaço Schengen, por exemplo, pedem que os turistas tenham um seguro viagem com uma cobertura médica de no mínimo 30 mil euros.

Já alguns outros destinos, como a África do Sul, podem exigir o Certificado Internacional de Vacinação (CIVP), visando garantir a segurança da sua população.

E não se esqueça de checar as exigências para a pandemia! Muitos países ainda estão em alerta, então vacine-se e esteja preparado para fazer o exame de Covid-19 caso seja necessário.

Resumindo, esses são os documentos que você provavelmente vai precisar:

  • RG e CPF;
  • CNH;
  • Passaporte;
  • Visto de viagem;
  • Passagens de ida e volta;
  • Comprovantes de hospedagem;
  • Comprovantes de meios financeiros;
  • Certificado Internacional de Vacinação (CIVP);
  • Vacinas e exame de Covid-19.

Dica de ouro: não esqueça de tirar cópias autenticadas e fotos dos seus documentos. Assim, se você acabar os perdendo, pode apresentar as cópias até conseguir encontrá-los ou solicitar novos documentos.


Foto de um passaporte aberto em cima da mesa.
É comum que, com tanta coisa na cabeça, a gente acabe esquecendo deixando alguns documentos pra trás. Por isso, separe tudo que for necessário o quanto antes!

5. Monte o roteiro de viagem

É muito importante montar o roteiro de viagem antes de comprar as passagens. Dessa maneira, você define todos os locais que vai visitar e pode aproveitar pra comprar as passagens internas também.

Um bom conselho que podemos te dar é: organize o seu roteiro de acordo com cada dia, assim você não perde tempo na hora de curtir as férias!

Com o roteiro já montado, você vai saber exatamente quais serão as programações da sua viagem, então terá uma noção bem melhor e mais detalhada dos gastos.

Agora é a hora de voltar para o orçamento e definir melhor o quanto vai poder gastar com cada item. Aproveite também pra separar algum dinheiro e deixar de reserva pra eventuais compras e emergências.

Você pode criar uma planilha ou pegar um caderninho e anotar todos os pontos importantes do seu roteiro:

  • Momentos de ida e volta do destino;
  • Check-in e check-out do hotel;
  • Locais a visitar;
  • Atrações, como museus, parques, etc.;
  • Datas e horários para cada atividade;
  • Orçamento detalhado, com cada gasto exato (e aquele dinheirinho extra de cada dia);
  • Anotações extras, como tipo de roupa a levar para cada atração e onde comprar os ingressos, quando necessário.

Também pode ser bom você listar algumas atividades de reserva. Por exemplo, pretende conhecer um museu, mas deu azar e não conseguiu prever que ele estaria fechado? Não tem problema, é só conferir qual a atividade reserva que pode substituir essa!

Lembrando que você não necessariamente precisa seguir o roteiro de maneira fiel, a função dele é servir de base pra que você não se perca com tanta informação. Às vezes acontece da gente descobrir uma atração nova durante a viagem e mudar todos os planos do dia só por causa dela, e isso é mais comum do que parece.

Ah! Não esqueça de dar uma olhada no nosso blog, onde temos vários roteiros prontos. É só conferir e usar os que fizerem mais sentido pra você!

Quer entender mais sobre o assunto? É só ler as nossas dicas de como preparar um roteiro de viagem.


Foto de uma pessoa sentada no aeroporto esperando o seu voo, enquanto observa um avião pela janela.
Uma das maiores garantias de que a sua viagem será um sucesso é o roteiro de viagem. Não deixe pra cima da hora!

6. Compre as passagens aéreas e defina os meios de transporte

Agora sim, finalmente é a hora de comprar as passagens! É bom conferir vários sites diferentes e ativar o aviso de preço, pois os valores costumam mudar da noite pro dia. Preste atenção nas promoções que surgirem, pois muitas delas duram apenas poucos minutos.

Uma boa ideia é separar alguns dias para mapear os valores das passagens, assim você consegue ter uma noção melhor de todas as altas e baixas dos preços, podendo comprar com mais calma — dá até pra aproveitar esse tempo pra continuar trabalhando no roteiro!

Nessa etapa, também é importante se preocupar com o transporte durante a viagem. Pense em como são os meios de locomoção do seu destino. Você pretende comprar passagens extra de avião, talvez para ir de um estado para outro? Será que é necessário alugar um carro, ou o transporte público já vai ser suficiente?

A verdade é que tudo isso depende, tanto do seu local de viagem, quanto das suas escolhas pessoais. Muitas pessoas vão preferir alugar um carro e aproveitar a paisagem das estradas, como é muito comum na região de Alentejo, em Portugal! Outras talvez pensem em visitar lugares bem distantes, então um avião pode ser o ideal.

Independente do que você escolha, considere as condições que o seu destino oferece: preços dos transportes públicos, trânsito, valor do aluguel de carro, acessibilidade (como rampas para pessoas cadeirantes), etc.

O importante é que agora você já sabe exatamente quais atrações pretende visitar, então fica bem mais fácil de definir os meios ideais de transporte.

Por fim, se for viajar de avião, não esqueça de comprar a sua passagem de retorno antes do embarque! Além de ser muito mais prático e poder aproveitar melhor as promoções, é essencial para poder entrar em qualquer país sem problemas.


Foto de uma das asas de um avião, vista através da janela enquanto ele decola.
Todos nós sabemos que comprar passagens de avião pode se tornar uma tarefa cansativa, por isso tente sempre comprar com antecedência.

7. Reserve as hospedagens

Com o roteiro definido e as passagens já compradas, é a hora de escolher o melhor lugar para se hospedar. O ideal é que você fique o mais próximo possível das atrações que você vai visitar, assim já salva um bom tempo de transporte.

Não existe segredo pra escolher a hospedagem, o melhor a se fazer é pensar mais uma vez em que tipo de viagem você vai ter. Se estiver com a sua família, talvez um hotel com um quarto grande e confortável seja uma boa escolha.

Principalmente se crianças ou bebês estiverem presentes, pode ter certeza que você vai agradecer por ter um espaço calmo no final do dia. Ainda dá pra aproveitar as atrações do próprio hotel, como piscinas, sala de jogos, parques, shows, etc.

Se você vai viajar com amigos, uma das opções é alugar uma casa inteira pelo Airbnb. Também é sempre possível encontrar opções mais baratas, como um hostel, ou até mesmo acampamentos!

Não tem escolha certa ou errada, tudo depende do seu estilo de viagem e orçamento. O que realmente importa é dormir em um lugar aconchegante e próximo dos locais que você pretende visitar.

8. Arrume as malas

Muita gente sente ansiedade só de pensar em arrumar as malas e acabar esquecendo alguma coisa importante. Realmente não é uma tarefa tão fácil assim, mas calma! O segredo é fazer tudo com tranquilidade e sem se desesperar.

Você pode começar pensando nos detalhes mais importantes:

  • Quais tipos de roupa você precisa levar? O seu destino é frio ou quente?
  • Tem espaço o suficiente para os sapatos?
  • É melhor já levar produtos de higiene ou comprar novos?
  • Será que é melhor organizar os produtos extras, como maquiagens, dentro de uma outra bolsa?
  • E qual é a mala ideal pra você? Grande, pequena, de rodinhas?

Algo indispensável é, se for viajar de avião, primeiro verificar a quantidade de bagagem permitida. Algumas companhias aéreas cobram valores extras pra despachar malas, então nada de levar coisa demais! Roupas podem ser reutilizadas, não tem por que colocar 30 camisetas diferentes para uma viagem de 7 dias, certo?

Se você ainda tiver medo de organizar as suas bagagens, temos um artigo focado só nisso! Dá uma olhada nas nossas dicas de como arrumar a mala.


Foto de uma mala aberta, com roupas e uma bolsinha com produtos de limpeza. Do lado de fora da mala, vemos um par de sandálias, um notebook, um óculos de sol, uma câmera fotográfica e uma fotografia.
Se esquecer um documento já é chato, imagina deixar pra trás aquela roupa favorita? Uma ótima ideia é fazer um checklist de tudo o que você precisa levar.

9. Contrate um seguro viagem

Muitas pessoas ficam com o pé atrás porque acham que vão contratar um seguro viagem à toa, só pra gastar dinheiro e nunca usar ele. Bom, o foco é realmente que a sua viagem seja perfeita, sem nenhum problema, e que você não precise usar o seguro!

O seguro viagem é um serviço preventivo, precisa ser contratado o quanto antes e só é usado em caso de imprevistos — mas a verdade é que não tem como saber se algum imprevisto vai acontecer. Por isso, é essencial se preocupar com a sua segurança e não pular essa etapa!

Se você precisar usar ir ao médico em outro país, os gastos provavelmente serão gigantescos. Mas, com o seguro, você consegue marcar uma consulta sem desembolsar nenhum centavo a mais, contanto que tudo esteja dentro das coberturas previstas no contrato.

Você precisa escolher o seu seguro viagem de acordo com as suas necessidades. Por padrão, sempre estarão inclusas as despesas médicas e hospitalares, mas talvez você precise de algo mais específico: vai fazer algum esporte profissional durante a viagem? Ou talvez viajar com uma pessoa gestante ou idosa?

Tudo isso requer planos específicos, e o ideal é verificar com muita calma quais são as principais coberturas do seguro viagem pra você. Além disso, como já falamos, alguns países exigem o seguro viagem para que você possa entrar no seu território, então não deixe pra última hora!

O melhor é que aqui na Real você consegue encontrar os planos perfeitos, sempre com o melhor preço. E então, tá esperando o quê pra se proteger durante a sua viagem?

10. Verifique o valor do câmbio

É indispensável se preocupar com esse assunto, que pode ser uma das maiores maneiras de perder dinheiro se não for dada a devida atenção. O câmbio é a compra da moeda estrangeira que vai ser utilizada durante a viagem. Não tem como chegar nos EUA querendo pagar as coisas com o real, certo?

Já tendo todo o seu orçamento definido, fica fácil saber qual valor da moeda você precisa comprar — mas não esqueça de incluir um valor a mais em caso de imprevistos.

Assim como as passagens, o preço do câmbio também muda a todo o momento, então é bom acompanhar por algum tempo. Analise todas as altas e baixas dos valores, anote tudo em uma planilha e então você terá certeza do melhor momento para a compra!

Por mais que geralmente seja possível viajar com dólar, o ideal é que você prefira usar a moeda local do seu destino. Assim, você evita perder mais dinheiro, pois sempre há alguma taxa na hora de realizar o câmbio.

Não se esqueça também de levar mais de um meio de pagamento. Além do dinheiro, o melhor é ter mais de um cartão de crédito contigo a todo o momento. Inclusive, garanta que os seus cartões estarão desbloqueados para o uso no exterior.


Foto de um castelo da Disneylândia, em Paris.
A Disneylândia é mais um dos destinos queridinhos dos brasileiro, mas não tem como chegar lá sem a moeda certa pra comprar as lembrancinhas!

Tudo pronto pra embarcar?

Agora que você já sabe os 10 passos fundamentais pra planejar qualquer viagem, temos certeza que a organização vai ficar bem mais fácil! Lembre sempre de que a pesquisa pode fazer parte de qualquer etapa, então separe um tempo descobrindo mais sobre o seu destino.

Outra coisa importante é que é sempre bom se preparar com antecedência. Sabemos que às vezes não sobra muito tempo livre no dia a dia, mas sempre que possível, comece a organizar a sua viagem meses antes.

Por fim, antes de embarcar, aprenda um pouco do idioma e cultura local! Na maioria dos destinos, um pouco de inglês já costuma ser o suficiente, mas saber falar “por favor” ou “obrigado” na língua do país que você visitar pode ser um belo de um salva-vidas. Divirta-se planejando a sua viagem e aproveite o máximo que conseguir!

Imagem de Perfil do autor

Estudante de jornalismo, redator e ex-colaborador da Real