Compare os melhores seguros de viagem

Leia também:

Seguro Viagem Seguro Viagem Europa Seguro Viagem América do Norte Seguro Viagem América do Sul Seguro Viagem EUA Seguro Viagem Internacional

O seguro viagem gestante diz respeito a uma categoria de seguro de viagem que oferece cuidados especiais para mulheres grávidas.

Existem muitas pessoas que acreditam que mulheres gestantes não podem ou não devem viajar, mas isso não é verdade. Na realidade, elas são mais do que capazes de se divertir como qualquer outro viajante, desde que tenha a proteção certa.

Se os imprevistos já acontecem com qualquer tipo de viajante, para as gestantes também não seria diferente. Afinal, nesse caso, existem duas pessoas a serem protegidas.

Sendo assim, antes de buscar por novas aventuras em qualquer lugar do mundo e levar um bebê consigo, mesmo que na barriga, é muito importante conhecer um seguro de viagem adequado!

O que é o seguro de viagem gestante?

Contratar um seguro de viagem é uma forma de proteger e garantir que seu passeio saia bem, evitando as principais emergências que costumam acontecer durante esse período.

Dentre suas principais coberturas, pode-se citar:

Ao enquadrar serviços como esses no caso de uma mulher gestante, algumas adaptações são feitas de forma a contemplar tanto ela quanto o bebê.

Em suma, um seguro de viagem para gestantes compila uma série de coberturas que são voltadas especificamente para elas, permitindo que elas se aventurem por onde desejarem contando com bem-estar e tranquilidade.

Por que contar com uma cobertura desse tipo?

Nada impede que uma mulher grávida viaje sob regência de um seguro viagem padrão, bem como do seguro de viagem do cartão de crédito.

Afinal, muitos cartões de crédito oferecem serviços gratuitos, mesmo que bastante limitados na maioria dos casos para os viajantes.

Porém, isso não é recomendado de forma alguma. Afinal, não é difícil perceber que mulheres grávidas são muito mais suscetíveis a passar por pequenos problemas do que outras pessoas.

Além disso, elas não estão sozinhas. Elas devem se focar, também, nas necessidades especiais do bebê que estão esperando, garantindo que consigam viajar sem se estressar com a possibilidade de algum imprevisto tomar forma.

Portanto, é fundamental que seja contratado um serviço especial para a mulher grávida.

O que esperar do seguro de viagem gestante?

O seguro de viagem gestante cobre situações emergenciais relacionadas à gravidez. Alguns exemplos disso são:

Determinadas seguradoras oferecem, ainda, mais coberturas inclusas. Mas é muito importante se atentar ao fato de que cada uma oferece auxílio para uma semana da gravidez, indo, geralmente, até a trigésima semana.

Onde encontrar a opção ideal de assistência de viagem?

Assim como no caso de outras opções de seguro, é possível contar com um comparador de seguros, como o da Real Seguro Viagem, para encontrar a melhor opção para cada perfil de viajante.

Acessando o site, colocando a localização da viagem, as datas e alguns dados pessoais, já será possível ter acesso a dezenas de opções oferecidas pelas seguradoras e optar pela mais adequada.

Qual o preço do seguro viagem gestante?

O valor que a gestante pagará por um seguro, será determinado por diversos fatores, desde a sua idade até a duração da viagem.

Abaixo segue compilando uma série de fatores que determinarão o custo da sua apólice de seguro de viagem durante a gravidez:

Se houver dúvidas sobre o tipo de cobertura que a gestante deve comprar ou se a viagem é ideal para ela, um médico deverá ser consultado.

Em suma, o preço de cada plano de viagem varia de acordo com as coberturas que estão inclusas nela. Enquanto planos simples tendem a serem menos custosos, os mais completos saem, geralmente, mais caros.

Porém, na hora de buscar pelo preço de cada seguro, é importante se focar em custo-benefício ao invés de procurar pelo mais barato.

Afinal, cada mãe possui uma necessidade especial, incluindo condições pré-existentes da gravidez, que precisam ser incluídas na apólice e que tendem a custar mais caro em função disso.

O que não é coberto pelo seguro?

Conforme dito, nem toda seguradora cobrirá o mesmo tipo de condições para a gravidez. Porém, é interessante ter acesso a uma lista comum do que não tende a ser coberto por ela:

Tendo todos esses pontos em mente, busque se informar sobre as condições especificadas para não se surpreender caso precisa usar o seguro.

Situações específicas da gestante

Duas situações específicas podem acometer a gestante: gravidez de mais de um filho e fertilização in vitro. Elas também recebem atenção especial no que diz respeito a um seguro de viagem:

Se a gestante estiver grávida de gêmeos ou mais filhos, é provável que a cobertura saia mais cara. Porém, é possível contar com ela, mesmo que por meio de uma união de apólices adicionais de viagem.

No que se refere à gravidez medicamente assistida, ou fertilização in vitro, a maioria das companhias de seguros de viagem pode vir a enxergar a gravidez como potencialmente arriscada devido aos cuidados médicos que ela pode exigir.

Se este for o caso, é fundamental verificar quais especificidades devem ser atendidas antes da compra final do seguro.

Ainda assim, é bom saber que a maioria das empresas de seguros de viagem cobrirá doenças ou complicações durante a gravidez nos casos de gêmeos ou de uma fertilização in vitro, caso elas ocorram dentro do período de gestação especificado.

É primordial ter em mente que as seguradoras não cobrem gestantes que engravidam depois da aquisição do seguro.

Assim sendo, se uma mulher engravidar fora do país e, portanto, não tiver um seguro viagem voltado para gestantes, será preciso que ela refaça todo o processo de aquisição de uma assistência voltada para suas necessidades.

Como acionar os serviços da seguradora?

Muitas mães se preocupam em saber o que fazer caso seja preciso acionar a seguradora durante uma viagem.

Além de contar com um atendimento de qualidade, fundamental para momentos de emergência em que a mãe está nervosa ou ansiosa, é preciso levar em conta alguns detalhes.

Se o seguro for acionado, por exemplo, em função de um acidente de carro ou onde a propriedade está danificada, seja culpa da gestante ou não, será preciso entrar em contato com a polícia e fazer um Boletim de Ocorrência.

Documentar qualquer situação que esteja relacionada a acidentes é fundamental para que o seguradora reconheça a situação e ofereça o ressarcimento. Além de documentos comprobatórios, é recomendado tirar fotos.

É importante estar ciente de que alguns países exigirão que seja paga uma multa. Se a quantia parecer excessiva, será possível contatar a seguradora.

Se a gestante precisar de atenção médica, será necessário emitir um relatório médico que explique o que aconteceu.

Pode levar de 2 a 10 dias para que seja recebida uma resposta após apresentar o formulário de solicitação de ressarcimento na seguradora. Se até esse período – ou período estipulado pela seguradora – não houver resposta, basta ligar para ela.

Recomendações gerais para gestantes em viagens

As recomendações abaixo dizem respeito a problemas comuns que o seguro viagem gestante pode vir a cobrir apenas parcialmente – ou não oferecer cobertura.

Assim, é importante tê-las em mente na hora de buscar pela melhor apólice disponível, unindo a segurança promovida por ela a boas práticas para qualquer mulher grávida.

Quem busca por um bom seguro de viagem gestante deve ter em mente que o momento mais seguro para viajar é entre as 18 e 24 semanas de gravidez.

Afinal, as emergências obstétricas mais comuns ocorrem no primeiro e no terceiro trimestre.

A decisão de viajar deve ser tomada em consulta com um médico especialista no assunto. Discuta junto a ele o objetivo da viagem, destino (s), duração do passeio, atividades planejadas, complicações médicas e / ou relacionadas à gravidez e os cuidados médicos disponíveis em outros países.

Assim, ele poderá confirmar se compensa ou não efetuar o passeio, baseando-se exclusivamente na saúde de cada mulher.

Se a mãe decidir viajar durante a gravidez, é importante revisar a cobertura escolhida e o que ela oferece, pois, a maioria das apólices não cobre automaticamente condições relacionadas à gravidez ou cuidados hospitalares para bebês prematuros.

Vacinas

Geralmente, é aconselhável que as mulheres grávidas evitem vacinas com a de sarampo, caxumba e rubéola; no entanto, vacinas inativadas são consideradas seguras (como, por exemplo, a de hepatite B).

A decisão de se vacinar durante a gravidez deve ser avaliada também junto a um médico, levando em consideração fatores como sua saúde pessoal, destino, duração da viagem e o risco de contrair doenças.

Uma doença perigosa para mulheres grávidas que deve ser avaliada antes da viagem é a malária.

Afinal, ela pode causar grandes problemas de saúde para uma mãe e seu bebê. É, inclusive, desaconselhado viajar para locais em que a presença dessa doença seja comum, ainda que a apólice de seguros escolhida a cubra.

É fundamental procurar atendimento médico imediatamente se for percebida febre durante uma viagem ou quando a gestante voltar para casa.

Risco de transporte

É essencial sempre usar o cinto de segurança durante qualquer viagem, seja de avião, carro ou trem.

No caso de mulheres gestantes, ao usar uma alça diagonal como cinto de segurança, as tiras devem ser colocadas cuidadosamente acima e abaixo do estômago.

Se houver apenas um cinto subabdominal, é interessante prendê-lo na área pélvica, abaixo do estômago.

Viagem aérea

Viajantes grávidas normalmente podem viajar com segurança por via aérea. Na ausência de complicações médicas ou obstétricas, as mulheres grávidas podem voar com segurança até 36 semanas de gestação.

Porém, a maioria das companhias aéreas restringe as viagens no final da gravidez - ou pode exigir uma confirmação por escrito de um médico.

É recomendado verificar esse quadro com a seguradora possíveis requisitos antes de contratar uma seguradora de viagem.

Risco de trombose

As mulheres grávidas têm um risco maior de desenvolver coágulos sanguíneos, conhecidos como trombose venosa profunda (TVP).

O risco de TVP pode ser reduzido levantando-se e andando ocasionalmente, exercitando-se e esticando as pernas.

Altitude elevada

Recomenda-se que as mulheres grávidas evitem altitudes acima de 3.658 metros ao viajar. Para gestações de alto risco ou para mulheres nos estágios finais da gravidez, as altitudes devem ser limitadas a 2.500 metros.

Mulheres com complicações relacionadas à gravidez também devem evitar a exposição desnecessária a grandes altitudes.

Medidas de proteção individual

As mulheres grávidas precisam ser especialmente cautelosas e em relação à alimentação e água.

Muitas doenças transmitidas dessa forma podem ser mais graves durante a gravidez e representar um risco para o bebê ainda não nascido. Alguns exemplos são a toxoplasmose, a listeriose e a hepatite E.

Com todas as recomendações acima em mente, é mais do que provável que as mulheres gestantes consigam aproveitar seu passeio de forma segura e tranquila.

A aquisição de um seguro de viagem é primordial para gestantes, mesmo que as devidas precauções sejam tomadas e capazes de evitar seu uso.

Afinal, não precisar contar com um seguro viagem gestante significa que tudo saiu de acordo com o planejado, o que é excelente! Boa viagem!



Garanta o melhor preço agora!